Baboseira do dia: Tomar café da manhã ajuda o cérebro a funcionar melhor e a emagrecer

Baboseira do dia: Tomar café da manhã ajuda o cérebro a funcionar melhor e a emagrecer

Um pouco de pseudociência para começar o dia

Todos os dias pela manhã, leio a Zero Hora online. Hoje me deparei com uma notícia pseudocientífica semelhante às que citei no artigo “A maior mentira do século – Parte 2“. Na notícia, que cita um estudo veiculado no site OnlineColleges.net, o jornal utiliza uma foto de bolos, sucos e cucas: ou seja, carboidratos. No entanto, uma análise mais aprofundada do próprio estudo indica que coisas açucaradas são exatamente o que não devemos comer.

Veja o infográfico abaixo, retirado do estudo e confira a análise em seguida.

The Most Important Meal of the Day

O estudo se baseia em muitas informações verdadeiras, resultantes de estudos observacionais. No entanto, a forma como o jornalista da Zero Hora e até mesmo o próprio site que publicou o estudo as interpreta é no mínimo estranha. Vamos analisar alguns dos pontos do infográfico original:

Pessoas que “pulam” o café da manhã consomem:

  • 40% mais doces
  • 55% mais refrigerantes
  • 45% menos vegetais
  • 30% menos frutas

Pessoas que comem café da manhã todos os dias também são:

  • 34% menos suscetíveis ao desenvolvimento de diabetes do tipo 2
  • 40% menos suscetíveis a acumular gordura abdominal do que os que não comem café da manhã

Então, faz sentido que:

  • Metade dos que não comem café da manhã são obesos

Se você reparar criticamente, o texto do infográfico utiliza uma correlação que leva o leitor a inferir que a causa da redução no risco do diabetes do tipo 2 e no acúmulo de gordura abdominal é tomar ou não café da manhã. Isto é uma falácia lógica extremamente pobre, mas que as pessoas em geral aceitam como verdadeira de forma natural. Eu poderia enumerar diversos motivos pra explicá-la:

  • Pessoas que tomam café da manhã podem ter uma maior consciência de saúde (ou seja, procuram ter um comportamento mais saudável e cuidam mais de seus corpos, fazendo exercícios, por exemplo).
  • Pessoas que fazem suas refeições em horários regulares tem menos tendência a fazer “lanchinhos” comendo doces ou aperitivos.
  • Pessoas que tomam café da manhã vêem as refeições de maneira mais racional.
  • Pessoas obesas roncam, dormem mal e acordam cansadas e sem vontade de preparar café da manhã, invertendo a relação entre causa e consequência.

Enfim, podem existir diversas variáveis que podem confundir a interpretação do estudo e causar os fenômenos observados, mas o estudo as ignora seletivamente, a fim de confirmar sua tese, ou seja, há um viés de confirmação. Depois, o estudo continua:

O café da manhã também afeta como você pensa: um estudo com 6.000 estudantes descobriu que:

  • Aqueles que comem café da manhã têm melhores notas e são mais suscetíveis a se formar.
  • 61% dos estudantes mostraram melhoras em inglês e matemática depois de comer café da manhã
  • A coordenação visual e motora também melhorou após o café da manhã
  • Os estudantes que comiam aveia no café da manhã tiveram um desempenho em testes de concentração e memória maior do que os que comiam cereais açucarados.
  • Se você não gosta de aveia, pode comer ovos! Estudos mostram que ovos no café da manhã resultam em melhor concentração, redução de “ataques de fome” e menor quantidade de calorias ingeridas no resto do dia.

Lembre-se: nem todos os cafés da manhã são iguais

  • Um café da manhã com muito açúcar te dá uma explosão de energia seguida de uma grande queda
  • Para otimizar os benefícios do café da manhã, escolha grãos integrais, proteína e/ou laticínios com pouca gordura.
O texto apresenta correlações bizarras entre tomar café da manhã e notas na faculdade, que podem ser explicadas, por exemplo, pelo fato de que quem “pula” o café da manhã geralmente são as pessoas que tem mais facilidade de dormir pela manhã e que preferem dormir até o último momento (e ainda assim sentem sono pela manhã). Ou ainda, que pessoas com transtornos de sono, como apnéia e ronco, dormem mal, não tomam café da manhã e passam o dia sonolentas. Além disso, o texto é cheio de interpretações tendenciosas:
  1. Pessoas que comem aveia, ou seja, um carboidrato integral, tem um desempenho melhor do que quem come cereais açucarados, ou seja, carboidratos refinados. Isso quer dizer que aveia melhora o desempenho, ou que carboidratos refinados reduzem o desempenho?  Vamos fazer um paralelo: pessoas que fumam cigarros com filtro têm uma chance menor de desenvolver câncer no pulmão do que pessoas que fumam cigarros sem filtro.  Isto quer dizer que cigarros com filtro fazem bem, ou que cigarros com filtro fazem menos mal do que cigarros sem filtro?
  2. Ovos no café da manhã resultam em melhor concentração, redução de “ataques de fome” e menor quantidade de calorias ingeridas no resto do dia. Mas o que causa este efeito atribuído aos ovos?  Se analisarmos um ovo, veremos que ele é composto basicamente de proteína e gordura. Logo, o que causa este efeito não é o ovo, mas a forma como nosso corpo processa as proteínas e gorduras: ele pode digerí-las por muito mais tempo, pois elas não se transformam em açúcar no sangue e a insulina não age para eliminá-las.
  3. A parte do açúcar e a explosão seguida de queda de energia está certa, mas preste atenção na incoerência: se o ovo nos dá energia por mais tempo e o ovo é feito de proteína e gordura, por que diabos deveríamos evitar os laticínios com gorduras? É lógico que é por causa de Ancel Keys e sua hipótese de que gordura causa doenças cardiovasculares.

Em síntese: é óbvio que dormir bem e se alimentar bem é algo que faz bem para a saúde. No entanto, a notícia da Zero Hora subverte o texto original colocando uma foto de um café da manhã rico em doces e carboidratos refinados. Além disso, o próprio estudo original comete alguns erros, como dar a entender que o diabetes e a obesidade são causados por comer ou não café da manhã, e não por quaisquer outros fatores que possam estar associados. Outro erro do artigo é sugerir que as pessoas que tomam café da manhã (ou seja, que dormem bem e acordam com disposição para cozinhar pela manhã) têm um maior desempenho escolar por tomar café da manhã, não por dormir bem. Além disso, o texto apresenta uma incoerência ao recomendar que se coma ovo (que tem bastante gordura) e laticínios com pouca gordura.

Enfim, fica evidente que mesmo que as evidências apontem na direção contrária, pouca gente tem a coragem de contestar a hipótese de que gordura faz mal para nossa saúde.

Obs: não estou dizendo que tomar café da manhã não seja uma boa prática, apenas estou apontando o fato de que correlação não implica causa e que podem haver mais fatores envolvidos neste fenômeno. Infelizmente, muitos médicos e principalmente a imprensa, noticiam estudos que indicam correlações como se eles tivesse o poder de estabelecer relações de causa e efeito.

Foto de capa: Divulgação/RBS TV
Infográfico: onlinecolleges.net